Últimos assuntos
» Introdução de Quests
por Zack Hattori Qui 3 Set 2015 - 18:54

» Sistema de Tramas Pessoais [TP]
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 17:20

» Desvantagens
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 17:18

» Salários
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 17:14

» Pericias
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 17:05

» Regras do Forum
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 16:57

» Jogabilidade
por Cloud Seg 31 Ago 2015 - 16:55

» Grupos
por Cloud Qua 26 Ago 2015 - 16:00

» Como construir seu personagem (Raças e Grupos)
por Cloud Qua 26 Ago 2015 - 15:28

» Raças
por Cloud Qua 26 Ago 2015 - 14:53

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 10 em Seg 21 Fev 2011 - 13:39
Visitas
contador de visitas gratis
Facebook
Apocalipse RPG

Apocalipse RPG


Ficha Chishi-bi Akame

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por Chishi-bi em Sex 17 Fev 2012 - 17:54

Geral
Nome do Personagem: Chishi-bi Akame
Raça: Vampiro (3 pontos)
Classe:Gatuno
Level do Personagem:1
Sexo: Masculino
Idade:20 aparentemente
Altura:1,70 m
Peso: 60
Características Físicas:Cabelos longos lisos e prateados, rosto fino sedutor e delicado, olhos de predador frios e vermelhos, pele bem clara, tipo físico esportivo com poucos músculos, voz fria baixa e sedutora, unhas das mãos um pouco grandes e afiadas.
História:
Spoiler:
Agora irei contar minha história, preste atenção, pois não tornarei a contá-la.
Essa parte da história é um pouco dramática, então não chore na minha frente, detesto esses sentimentos fúteis. Tudo começou há muito tempo, quando eu ainda era humano... Isso mesmo eu já fui um humano fraco e patético. Eu era rejeitado pela sociedade, sem saber o porquê, pois nada de errado eu fazia, mas sabe como são os humanos e seus preconceitos. Não tinha onde ficar, não tinha com que ficar, era somente eu e por conta disso acabei por adquirir um sentimento ruim pela aquela raça, eu tinha nojo de mim mesmo. Vagava sem destino algum, eu sabia que aquilo era perigoso, pois existiam muitas criaturas obscuras à solta, porém eu não estava com medo, na verdade eu não iria perder nada se me matassem. Não fazia muito tempo que essas criaturas haviam aparecido como num passe de mágica, ninguém sabia de onde vinham e por conta disso, muitas guerras aconteciam freqüentemente entre os humanos e essas criaturas.
Naquela noite o ambiente estava mais frio e mais silencioso que o normal, contudo continuei andando sem rumo algum, somente queria me afastar da sociedade para descansar. Olhei para o chão e a única coisa que eu conseguia ver era algo avermelhado em meio ao barro que era iluminado pela enorme lua cheia, porém não tardou para um cheiro forte de carnificina adentrar em meu nariz fazendo-o arder.
-Outra guerra... –Sussurrei não dando importância para o estado de lugar e continuei a andar até que passei por algo, sem dar muita importância. Foi ai que minha vida mudou.
-Ei humano! – Uma voz num tom metálico feminino me chamou, parei de andar e olhei na direção do som. Por conta da escuridão não dava pra ver muita coisa, porém quando a lua iluminou o local, pude claramente ver um brilho... Era uma espada, mas uma espada não fala. –Chegue mais perto. –Ouvi novamente e andei na direção “dela”.
Quando cheguei perto o suficiente pude então ver perfeitamente a espada sozinha naquele lugar, então era dela essa voz. Achei suspeito, mas permaneci ali olhando pra ela sem ousar tocá-la.
-O que você quer comigo? –Perguntei friamente olhando-a, era uma espada muito bonita.
-Você é um humano intrigante... –Falou a espada e eu me virei de costas pra voltar ao meu caminho, oras não iria ficar ouvindo blasfêmias de uma espada, já me bastava as da sociedade. –Gostei de você... Seu olhar, seu coração e sua energia não são normais... –Continuou a falar e eu parei por uns instantes esperando “ela” continuar. –Você tem profundos ressentimentos pelos humanos, não quer se tornar algo mais? –Ela me perguntou e me virei para olhá-la.
-Como assim “algo mais”? –Perguntei interessado no assunto.
-Se você aceitar, posso te transformar em uma criatura exótica e poderá se vingar desses humanos que tanto despreza. –Falou a espada e pensei por uns instantes... Essa poderia ser minha única chance de me tornar outro ser e ser temido. Um sorriso brotou em minha face e um brilho estranho surgiu em meus olhos azuis.
-O que eu tenho que fazer? –Perguntei curioso.
-Nada, somente depois de transformado precisará fazer algo, por hora, eu irei usar um pouco de minha energia para me materializar, assim poderei transformá-lo. –Respondeu a espada e não entendi, como assim “se materializar”?
Uma luz saiu da espada e cobri meus olhos, já que estava escuro e estava acostumado com aquela falta de luminosidade, quando a luz cessou, retornei a abrir os olhos e dei de cara com uma mulher muito bonita. Olhei pra ela intrigado, enquanto ela me analisava com o olhar, sem ousar tocar-me. Eu tinha cabelos negros até os ombros, olhos azuis, pele morena por conta de muito andar no sol e meu porte físico era magro com poucos músculos.
-Você é a espada? –Finalmente tive coragem de perguntar, já que as palavras estavam presas em minha garganta.
-Não, eu sou o poder da espada... –Respondeu dando uma pausa e depois continuou. –Eu era uma criatura exótica, poderosa e impiedosa, porém um sacerdote muito forte me lacrou nessa espada e acabou morrendo. Por conta de meu poder, não é qualquer um que pode me manusear e você é diferente. –Falou ela com alguma esperança transparecendo em seu olhar.
-Então você vai me transformar nessa criatura que você era, é isso? –Perguntei ainda tentando absorver tudo.
-Sim, agora venha... Não tenho muito tempo materializada. –Pediu pra eu me aproximar abrindo os braços como se quisesse me abraçar.
Aproximei-me dela, o que eu poderia perder? Senti seus braços em torno de meus ombros, num abraço até carinhoso, e seu nariz tocou meu pescoço me assustando um pouco. O que será que ela iria fazer? Estava confuso, porém logo um grunhido de dor ficou preso em minha garganta quando senti algo fino penetrando em meu pescoço. Senti meu corpo ficando mole e alguns de meus sentidos falharem, meus batimentos foram se tornando cada vez mais fracos e senti minha pele cada vez mais fria. Isso era a morte? Então era assim a sensação... Um sorriso leve brotou em meus lábios, não era tão ruim, era até gostoso. Fechei os meus olhos, não sei por quanto tempo dormi, mas acordei com meu corpo tendo alguns espasmos. Abri os olhos assustado e senti minha cabeça confortavelmente apoiada nas pernas dela. A lua estava bem alta no céu, indicando ser bem tarde da madrugada e olhei à minha volta. Eu conseguia ver tudo perfeitamente bem, escutava muito melhor e sentia algo forte atrás de mim. Olhei pra ela ainda sem entender bem o que aconteceu comigo.
-Agora você é um vampiro, você se alimenta de sangue e não deve nunca sair durante o dia. Pra finalizar a transformação, você deve fazer sua primeira refeição. –Explicou-me com algumas novas regras e a vi voltar pra espada. –Agora você é meu dono, eu também necessito de sangue, então toda vez que se alimentar dividirá seu alimento comigo, assim meu poder sempre será forte. Com o tempo você irá controlar seus poderes e sua transformação. Seu nome agora será Akame, olhos vermelhos.
Eu me sentia normal fora o fato dos meus sentidos estarem mais apurados que os de um humano. Retirei a espada do chão e uma descarga de energia passou pelo meu corpo, não me ferindo, era como se estivesse me reconhecendo.
Depois desse dia, as pessoas do vilarejo onde eu “morava” temiam-me, e então me mudei para uma mansão acima de um monte perto do vilarejo, de lá eu via sua extensão toda e sabia tudo o que acontecia. Já havia aprendido a controlar minha transformação, que era num gato negro, o que eu normalmente usava pra conseguir alimento, já que as mulheres jovens adoravam esses serezinhos. Minha aparecia havia mudado desde o dia de minha transformação, porém eu só vim há perceber um tempo depois. Meus cabelos não eram mais negros e sim prateados, meus olhos vermelhos, e minha pele estava bem pálida, fora os pontudos caninos que agora moravam em minha boca. Eu poderia ter qualquer um que eu quisesse, sendo ela mulher ou homem.
Um dia durante minhas caçadas, uma mulher me chamou a atenção, ela era muito atraente e seu cheiro me embriagava como uma droga. Isso nunca havia acontecido e então resolvi me aproximar dela pra tentar entender aquela peculiaridade.
- Akame, não estou gostando disso... –Disse Saya, minha espada.
-Não vai acontecer nada Saya, acalma-te. –Falei não dando muita importância pra advertência dela.
Flertei essa moça a noite toda antes de voltar para minha mansão, não havia conseguido alimento, porém não estava à procura disso, já que eu havia me alimentado há pouco tempo. O cheiro dela ainda estava em minhas roupas e aquilo era uma tortura, eu não imaginava o que poderia ser, embora Saya tivesse idéia do que seria, ficou quieta.
O tempo passou e eu visitava freqüentemente aquela mulher com cheiro tentador que se chamava Karin. Eu tinha vontade de mordê-la, mas por alguma razão eu não conseguia fazê-lo, era como se ela me enfeitiçasse. Ela se apaixonou por mim, eu não poderia dizer o mesmo já que eu não tinha um coração vivo, e mesmo descobrindo meu segredo, aceitou e parece que isso a aproximou mais de mim. Começamos a ter um relacionamento firme, ela vivia na mansão, porém ia para a casa dela de tempos em tempos. Saya não concordava com isso, mas desistiu de discutir comigo ao ver que não havia discurso que me fizesse mudar de idéia.
Numa noite, eu e Karin estávamos deitados na cama debaixo de um fino lençol de linho. Ela estava com a cabeça sobre meu peito enquanto fazia um tipo de cafuné em minha cabeça.
-Chishi-bi... –Sussurrou ela virando-se de barriga pra baixo sobre minha barriga e olhando em meus olhos.
-Hum? –Murmurei olhando pra ela esperando que continuasse.
-Por que você nunca me mordeu? –Perguntou curiosa passando uma das mãos no pescoço afastando os cabelos do local.
-Seu cheiro me é muito tentador, se eu te morder corre um sério risco de eu não conseguir parar, por isso. –Respondi passando a mão no pescoço dela e logo puxando seus cabelos castanhos ondulados de volta, cobrindo-o.
-Hoje eu irei voltar para o vilarejo, estarei de volta na manha seguinte. –Avisou-me se levantando e vestindo sua roupa. Fiz o mesmo que ela e olhei pelas frestas da janela vendo o dia raiar lá fora pela claridade que começava a bater na madeira antiga.
Fomos até o salão principal onde tinha as escadas para a porta de entrada e saída da mansão. Ela desceu as escadas correndo alegre e rodopiou sobre um pé, quando chegou ao chão, olhando pra mim e sorrindo.
-Vou ver se compro algumas roupas novas, sei que adora! –Comentou alegre e se virou pra porta.
-Karin, espera! –Gritei sentindo algo de estranho e logo a porta foi aberta fortemente e um tiro ecoou pelo salão.
Karin estava assustada e suas pernas fraquejaram, porém antes dela cair eu já estava ao seu lado a segurando. Como eu não senti? Como eu não previ isso?! Claro que poderia acontecer algo assim. A acomodei em meu colo enquanto eu sentia algo apertar em meu peito, me assustando de inicio, já que meu coração não era vivo, não achei que seria possível.
-Karin... –Sussurrei olhando pra ela que olhava fracamente pra mim. A bala havia acertado seu coração e não demoraria muito pra que ela morresse.
-Vamos! –Gritou um dos homens intrusos.
-Mas poderíamos matá-lo agora! –Afirmou outro descordando da atitude de seu líder.
-Eu quero que ele sofra antes de matá-lo, já que ele matou várias pessoas importantes para nós. –Respondeu o líder e o outro pareceu entender assim como os outros que estavam ali. Foram embora, deixei-os ir depois eu me vingaria.
-Chishi-bi... –Sussurrou Karin e voltei meus olhos pro rosto dela. –Quero te fazer um pedido...
-Sim, fale. –Esperei que ela respirasse e voltasse a falar.
-Quero que me morda antes que eu morra... Quero que seja você a me levar pro mundo dos mortos. –Ouvi atentamente seu pedido e não acreditei. Senti algo escorrer pelo meu rosto, não, não poderia ser uma lágrima! Ela sorriu e então me aproximei para mordê-la. E assim ela morreu com um sorriso no rosto. Realmente o gosto do sangue dela era viciante e muito bom.
Depois de algum tempo de luto e Saya me recriminando pelas minhas atitudes, a única coisa que restou de Karin foram seus ossos, os quais eu limpei e guardei como lembrança de sua pessoa. O vilarejo foi dizimado e a que mais gostou disso foi Saya que não parava de rir, posso dizer que eu também adorei essa sensação de poder e matança. Desde então eu só venho procurando mais poder e em meu intimo mais profundo, uma chance de reencontrar uma mulher igual à Karin.
É isso... Agora me conhece um pouquinho, pois essa parte de minha história é somente o começo, ainda tem muito, e coisas que eu não vou contar.


----------

STATUS:
Força: 4+1/12
Destreza: 4+2/12
Vigor 4/12
Magia: 2/12
Inteligência: 3+1/12


HP: 4 × 10= 40 + 70= 110
MP: 2 + 4 × 20 = 120 + 10= 130
ST: 6 + 4 X 30 = 300 + 20= 320
----------

Pericias:
Perícias da classe: Adagas e Surrupiagem.
Pericias: Arma exótica e Mirar
Vantagens Raciais:
- Imortal 2
- Transformação Consciente: gato
- Regeneração
- Escolher 1 sentido especiais: visão
- Juventude Eterna
Vantagens:
Aprendiz Rápido [4 pontos]
ARMA ESPECIAL (1 ponto):
Vantagens:
Inteligente (1 ponto)
Vontade de Ganhar (1 Ponto)
Dano Superior (1 ponto)
Desvantagens:
Permanente (-2 Pontos)

Sedutor [2 pontos]
Desvantagens Raciais:
- Vulnerabilidade: Sol e fogo
- Dependencia (Sangue)
- Ponto fraco (Coração)
- Convite
Desvantagens:
ALBINISMO [-4 pontos]
ANDRÓGINO [-2 pontos]
AURA NEGRA[-1 ponto]

Habilidade:
Nome: Shot of Energy
Descrição: Concentra sua energia espiritual na arma que tem acoplada no cabo (tsuka) da katana e atira em direção ao inimigo.
Efeito: Perfurante.
Duração:1 post
Custo: 30 Mp
Dano: 30+Mg
Alcance: 10 metros
Itens:
-Katana: (F+12 / 10 St / 11/18) Requisito: Destreza 4 ou +
Spoiler:
Total de Pontos:
3 (raça) + 17 (atributos) + 7 (vantagens) = 27 - 7 (desvantagens) = 20 -20 = 0


Última edição por Chishi-bi em Sab 24 Mar 2012 - 19:37, editado 2 vez(es)
avatar
Chishi-bi
Iniciante
Iniciante

Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/02/2012

Ficha de Personagem
Raça: Vampiro
Level: 1
Experiência:
0/0  (0/0)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por Zack Hattori em Ter 21 Fev 2012 - 19:48

tudo nos conformes
avatar
Zack Hattori
Administrador
Administrador

Mensagens : 911
Data de inscrição : 17/01/2011
Localização : HELL

Ficha de Personagem
Raça: Demônio
Level: 7+1
Experiência:
7075/8000  (7075/8000)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por DoBer em Qua 22 Fev 2012 - 10:38

é? eu to vendo coisa errada aí...
avatar
DoBer
Iniciante
Iniciante

Mensagens : 363
Data de inscrição : 23/04/2011

Ficha de Personagem
Raça: Humano
Level: 5
Experiência:
4600/5000  (4600/5000)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por Chishi-bi em Sab 24 Mar 2012 - 0:25

O que está errado? scratch
avatar
Chishi-bi
Iniciante
Iniciante

Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/02/2012

Ficha de Personagem
Raça: Vampiro
Level: 1
Experiência:
0/0  (0/0)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por DoBer em Sab 24 Mar 2012 - 19:25

eu não lembro mais pq eu escrevi isso Shocked

mas eu dei uma olhada e vi que tu esqueceu de botar no MP e ST só o stat puro pro cálculo, sem o bônus de raça =P
avatar
DoBer
Iniciante
Iniciante

Mensagens : 363
Data de inscrição : 23/04/2011

Ficha de Personagem
Raça: Humano
Level: 5
Experiência:
4600/5000  (4600/5000)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por Chishi-bi em Sab 24 Mar 2012 - 19:40

aaah tah huahuahuahuahau vlw ^^
avatar
Chishi-bi
Iniciante
Iniciante

Mensagens : 7
Data de inscrição : 17/02/2012

Ficha de Personagem
Raça: Vampiro
Level: 1
Experiência:
0/0  (0/0)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha Chishi-bi Akame

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum